Meninos de rua
banhados de lua!
Jogados na sua,
na vida tão dura.

Eu fico assustada!
Cadê a sarampada
que dá em meninada
que foi vacinada?

Que é dos cuidados?!
Remédios não dados...
Será que os "colados"
não têm resfriados?

Nem frio nem serenos
abatem os pequenos
mirrados, morenos,
sem colchas nem menos.

Só morrem baleados
com tiro bem dado,
covarde, acertado
no escuro calado.

Menino, vai embora
sem sua catapora.
No seu bota-fora
ninguém aqui chora.

Só chora a lua
buscando na rua
sua alma tão nua,
tão triste, só sua.


Minha homenagem aos meninos assassinados por policiais covardes,
no massacre da Candelária, Rio de Janeiro.