A primeira lágrima brotou
tão de repente
que assustada rolou,
se despencando em tropeços
do meu rosto jovem e ardente.
A segunda, já não tão louca,
olhou de um lado, de outro,
depois desceu se agarrando
mas morreu na minha boca.
A terceira veio serena,
conhecendo a situação...
Sabia não valer a pena
correr sem ter direção.
Passeou, tão devagar,
meu rosto todo ensopando
que eu nunca pude apagar
as marcas que foi deixando.