Ó tresloucada Tsiporah,
filha de Jetro. Aonde vais
deixando tua terra,
teu povo, teus pais,
seguindo o visionário
sedento de ideais?
Ele será um solitário
cercado de desleais.
Não terás um marido
nem mesmo um companheiro.
Estará absorvido
na missão de arrastadeiro
do povo sem paradeiro.
O amor ficará esquecido
no deserto desflorido.
Também segui teu destino
carregada de ilusões,
indo atrás de um beduíno
para outras direções.
Sugaram-me tanto os seios
que hoje, sem devaneios,
arrastam-se pelos corais.
Ó tresloucada Tsiporah,
quero jogar-me em teus braços
para chorar meus cansaços,
jurando que nunca mais
que nunca mais
nunca mais.