GERME POÉTICO

Cléo Reis
(Membro da Academia de Letras e Artes de Ribeirão Preto)

          Caiu um fio do meu cabelo.
Não tem importância,
eu não era dona dele!
          Caíram dez fios
de um perfeito cacho louro.
Não tem importância,
um dia todos os cachos se desfazem.
          Cairão os peitos.
Que importa?
Já amamentaram!
          A pele se ondulará
nas curvas do tempo,
e depois adubará a terra,
permanecendo jovem o sorriso
no rosto dos pequenos.
          Cairão minhas pálpebras, mas
não me impedirão de ver o infinito.
          Abandono-me para resguardar a paz
dos sonhos invividos.
          Tudo cairá em mim,
só flutuarão os gestos poéticos,
"como o amor do fruto que cai
e ainda fica a semente."